ICEPi e Sesa realizam seminário sobre novo modelo de contratualização dos hospitais filantrópicos

25/06/2022 08h50 - Atualizado em 27/06/2022 09h24

Com o intuito de melhorar o acesso e a qualidade no atendimento aos pacientes, a Secretaria da Saúde (Sesa), com o Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi), realizou, nessa quarta-feira (22), no Palácio Anchieta, em Vitória, o “Seminário Estadual de Tecnologia e Novo Modelo de Atenção: Acesso, Regulação, Contratualização e Rede”.

Na ocasião, foi apresentado o novo modelo de contratualização dos hospitais filantrópicos, que vai entrar em vigor no segundo semestre deste ano. No modelo, os hospitais serão remunerados pelo desempenho que tiverem a partir de indicadores que avaliam a qualidade no atendimento e a percepção do usuário em relação ao serviço. Participaram do evento secretários municipais da Saúde, gestores dos hospitais da rede própria e filantrópica, além de servidores da Sesa e membros do ICEPi.

Na abertura do evento, o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, ressaltou que a saúde capixaba colhe hoje o que plantou ao longo dos três anos deste Governo. Além disso, ressaltou a importância deste momento que integra Estado, municípios e a filantropia, num esforço conjunto de inovação.

“Agradeço a todos os servidores da Secretaria da Saúde pelo trabalho realizado. Apostamos num êxito coletivo e temos a satisfação de construir uma nova experiência em saúde, mudando processos, investido na educação em saúde, na inovação, além de enfrentarmos desafios para garantir o acesso à saúde a toda população”, frisou o secretário Nésio Fernandes.

Ele destacou também a expansão da Atenção Básica, com quase 400 novas equipes no Estado ampliadas em plena pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). “Temos o dobro de leitos que tínhamos em outra época, com hospitais melhores, conectados à rede, e uma engrenagem regulatória com melhor desempenho. Também vamos chegar na aplicação de nove milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 no povo capixaba, além de medicamentos específicos para o tratamento da doença. São vitórias que destaco e agradeço o esforço de todos nesse propósito”, pontuou Nésio Fernandes.

O diretor do Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde, Fabiano Ribeiro, salientou a importância da incorporação tecnológica para a saúde. “A inovação possibilita o acesso dos usuários ao Sistema Único de Saúde (SUS). Não dá para pensar numa assistência à saúde sem organizar os processos, que são aliados à tecnologia para fazer com que o sistema funciona”, disse.

Durante toda a manhã, foram apresentadas palestras voltadas aos novos passos da Atenção Primária à Saúde (APS) capixaba, o impacto da implantação da Autorregulação Formativa Territorial (ARFT), com o relato do município de São Roque do Canaã, e o lançamento da nova plataforma do Estado para consultas e exames especializados, denominada “Acessa e Confia”.

Funcionamento do novo modelo de contratualização

Para explicar como vai funcionar o novo modelo de contratualização, o coordenador do projeto de Medicina Hospitalar (MH), do ICEPi, Mayke Armani, fez uma apresentação sobre o Net Promoter Score (NPS), que será utilizado na contratualização dos hospitais filantrópicos.

“O NPS é uma métrica que serve para mensurar como anda a satisfação do usuário com o serviço prestado. Essa será a forma de acompanharmos nosso desempenho com base no feedback dos usuários e utilizaremos esses dados para o valor agregado da nossa assistência. Assim, os pacientes poderão avaliar e dar nota para os serviços utilizados”, detalhou Armani.

Melhorias no SUS capixaba

Durante o seminário, o secretário Nésio Fernandes também destacou alguns programas de inovação implantados pelo ICEPi na rede própria, que contribuíram para o aperfeiçoamento do atendimento ao cidadão, como, por exemplo, o Núcleo Interno de Regulação (NIR), a ARFT e a MH. Os três projetos fazem parte do Programa de Gestão do Acesso e da Qualidade da Assistência nas Redes de Atenção à Saúde (PGAQ).

“Durante a pandemia da Covid-19, nós iniciamos o novo modelo de NIR nos hospitais próprios. Com isso, conseguimos revisar e ter maior segurança do perfil e da complexidade de cada leito das unidades, sendo uma engrenagem de modernização do acesso no Estado. Além disso, garantimos que os demais projetos fossem colocados em prática em tempo hábil, o que é importante para o atendimento à população. O resultado disso é que hoje 84% das vagas solicitadas são aceitas. Anteriormente, a média era de 44% nos hospitais que hoje contam com o programa”, afirmou o secretário.

Ainda segundo os dados apresentados, os 78 municípios do Estado utilizam o sistema SoulMV para a regulação de pacientes em exames e consultas nas redes de atendimento, com 10.178 profissionais treinados para utilizar a ferramenta; e 1.002 Unidades Básicas de Saúde têm ponto de acesso à Regulação Ambulatorial.

Já a secretária de Saúde de Cariacica, Roberta Goltara, citou a importância dos projetos do ICEPi e como os pacientes ganham com um atendimento mais especializado. “Em nosso município, temos mais de 125 profissionais do Programa Estadual de Qualificação da Atenção Primária à Saúde (Qualifica-APS) e Autorregulação Formativa Territorial (ARFT), em todas as Unidades Básicas de Saúde. A população voltou a confiar e procurar atendimento na Unidade de Saúde”, frisou.

Informações à Imprensa:

Coordenadoria de Comunicação em Saúde – Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi)

Gabriel Torobay / Mayra Scarpi / Mariela Pitanga

icepi.comunicacao@saude.es.gov.br 

Assessoria de Comunicação – Superintendência da Regional Metropolitana de Saúde

Danielly Schulthais

daniellyschulthais@saude.es.gov.br 

Busca