Projeto ‘Gota de Vida’ cria plataforma digital para impulsionar doações de sangue e medula óssea

24/06/2022 15h19 - Atualizado em 27/06/2022 09h55

O Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi) está desenvolvendo uma plataforma digital para impulsionar as doações de sangue e de medula óssea, além de fidelizar doadores. É o “Gota de Vida”. 

Criado em parceria com o Centro de Hemoterapia e Hematologia do Espírito Santo (Hemoes), a equipe desenvolvedora, formada por Ezequiel Demetras Silva, Fábio Daniel Mazioli Alvarenga e Giulyana Mazioli Alvarenga, e coordenada por Murillo Birchler Xavier e Rafael Duarte Olveira, destaca que os testes com usuários começam em julho e que, por meio de um celular, a pessoa poderá acessar informações sobre como e onde doar.

O gerente de Inovação do ICEPi, Daniel Henrique Rezende Carvalho, ressaltou a importância de iniciativas como o “Gota de Vida” para a gestão pública. “Espero que a ferramenta estimule a doação de sangue e a ampliação do cadastro de doadores de medula óssea e, assim, a Secretaria da Saúde (Sesa) consiga manter os bancos de sangue em níveis adequados”, pontuou.

A parceria com o Hemoes garante o desenvolvimento da solução e a escalabilidade para outros locais. “A plataforma é desenvolvida com atenção especial ao suprimento das necessidades reais dos envolvidos no ecossistema de doação de sangue e medula óssea. Para alcançarmos isso, estamos em contato direto com o Hemoes, durante todo o andamento do projeto”, completou Fábio Alvarenga. 

“Muitas pessoas não são doadoras por desconhecerem o processo de doação de sangue. O projeto ‘Gota de Vida’, aliado ao site do Hemoes, que foi lançado há pouco tempo, facilitará o acesso à informação para a população em geral e auxiliará no esclarecimento de dúvidas. Será um grande aliado na desmistificação da doação. Com essas ferramentas, on-line, promoveremos a cultura de doação, a fidelização do doador e a sensibilização da população para este gesto nobre”, salientou a gerente do Ciclo do Doador do Hemoes, Angela Rosa Félix. 

Ela lembra que, além de precisar manter os estoques de sangue em níveis regulares para atender emergências em saúde, o Hemoes atende os pacientes portadores de doenças, como hemofilia, leucemias e anemias, que necessitam de transfusões periodicamente como parte do tratamento. “Não existe nenhum substituto para o sangue e uma bolsa de sangue pode salvar até quatro vidas”, acrescentou a gerente.

 

Informações à Imprensa:  

Coordenadoria de Comunicação em Saúde – Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi)

Gabriel Torobay / Mayra Scarpi / Mariela Pitanga

icepi.comunicacao@saude.es.gov.br    

Busca